O PORTO SEGURO

13-03-2017 15:36

Que atire a primeira pedra quem nunca quis trocar todas as bocas do mundo por uma só!

Quem nunca quis alguém para chamar de seu?

Por questões religiosas, sociais, carência ou simplesmente paixão. Todos passam pelo desejo de encontrar alguém para andar ao seu lado na estrada da vida.

Não sei até que ponto somos influenciados pela sociedade ou realmente desejamos isso para nós, o fato é que desejamos e conseguimos, depois passamos a sofrer com nossas escolhas.

A Vestal não foi diferente de todos. Embora com alma livre procurou um bem querer e casou. Sim, a Vestal tem marido!!!

E quem seria o eleito desta misteriosa pessoa?

Meu porto seguro não é seguro, não é príncipe, não acompanha meus devaneios e contribuo para o aumento das estatísticas das reclamações. E qual o motivo de continuar numa relação incompleta?

Porque as pessoas ficam em relações que lhe desagradam?

Ouço muitos depoimentos de pessoas insatisfeitas em suas relações, tanto os homens como as mulheres. Que casamento não é tarefa fácil todo mundo sabe, mas não vejo nos casais de hoje muita disposição para insistir na relação como os casais de antes. E quem estaria errado afinal?

Casar e ter filhos faz parte da nossa vida. As novelas e filmes românticos terminam bem com casamentos e bebês, sinônimo de felicidade. Porém, esse não é o desejo real das pessoas, elas repetem um ciclo que não faz mais sentido para muitos. Então, qual seria o motivo de continuarmos em busca de algo que sabemos que não nos trará plenitude?

Acredito que desejamos sermos iguais, ser diferente é custoso. Por isso essa sucessão de casamentos e divórcios sem fim, quando poderíamos pular essa parte e simplesmente viver...

Enquanto isso a Vestal sobrevive no casamento tradicional, necessitando de subterfúgios para manter a alma livre. Talvez se encontrasse um companheiro tão livre quanto ela, não conseguiriam organizar um lar e uma vida em comum.

As diferenças nos equilibram, nos completam e faz as podas necessárias em nossos comportamentos desvairados. Uma dose de loucura, uma pitada de sanidade, e assim vamos tocando...

Até a próxima reflexão meus caros!

 

Autora: Vestal

Vestal é o pseudônimo de uma mulher admiradora do universo masculino. Cercada por esses seres tão práticos em contraposição com a complexidade feminina, observa o comportamento deles e afirma: os homens não são todos iguais!

Voltar

Procurar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons Michael Seeley, Kiwi Tom  © 2010 Todos os direitos reservados.