O POVO BRASILEIRO NA OBRA DE DARCY RIBEIRO – BRASIL CRIOULO

08-09-2017 16:14

Seja bem-vindo tripulante à nave investigadora!

A aula desta semana abordará, tendo como base a obra de Darcy Ribeiro, o Brasil crioulo. Na última aula (“Encontros e desencontros”), vimos o tratamento dispensado pelo autor ao tema do “processo de miscigenação” do povo brasileiro, na relação de “entrecruzamento” de matrizes étnicas-culturais completamente diferentes: Matriz Tupi, Matriz Lusa e Matriz Afro. A partir de agora veremos como a “mestiçagem” constituinte e constitutiva do nosso povo se dá em cada região geográfica do país, que Ribeiro prefere denominar de “área cultural”.

A área cultural do Brasil crioulo abrange do estado de Pernambuco a Bahia, com uma quantidade enorme de negros vindos do continente africano para serem escravos na lavoura de cana-de açúcar. Darcy ressalta que, durante quatros séculos (período da escravidão), vieram 100 (cem) milhões de negros da África. Deste total, 12 (doze) milhões apenas foram incorporados ao processo produtivo. O restante morreu no trajeto, dadas as condições precárias dos “navios negreiros”, ou não suportavam as condições de trabalho. Ou autor afirma que o “negro era igual carvão”, quando morria um você colocava outro no lugar, sem alterar o funcionamento do sistema agroexportador da colônia, sustentado por escravos. Importante salientar que o negro era uma mercadoria (com valor-de-uso e valor-de-troca) muito valiosa, inclusive sendo, segundo Darcy, nas transações econômicas ocorridas no interior da colônia portuguesa, a “mercadoria equivalente universal” de todas as outras mercadorias.

O Brasil crioulo mostra não apenas os aspectos nefastos da colonização e escravidão, pelo contrário. Foi a partir dessa tragédia humana e social que a cultura negra tornou-se vigorosa ao ponto de impor padrões culturais no processo de miscigenação. Essa “negrada”, palavra utilizada pelo autor não em tom pejorativo, deixou de “serem eles para tornarem-se nós, os brasileiros”. A cultura africana vive em cada um de nós, é a “seiva” que nos faz mais belos como povo. As influências africanas podem ser percebidas em tudo que o brasileiro cria: na culinária, na religião, nas palavras e expressões de afeto usadas nas relações íntimas (Ex.: Cafuné e Dengo), na dança, na música e na arte em geral.

Viva o povo negro!

Viva o povo brasileiro!

Para ver a própria vídeo-aula do Darcy Ribeiro, clique no link abaixo:

www.youtube.com/watch?v=zry343KHFtI

Para ler as aulas anteriores, clique no link abaixo:

professorkassiano.webnode.com.br/

INDICAÇÕES DE LEITURA

- CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Editora Edusc.

- RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. Editora Companhia das letras.

- RIBEIRO, Darcy. O Brasil como problema. Editora Global.

- TOMAZI, Nelson D. Sociologia para o ensino médio. Editora Saraiva.

Voltar

Procurar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons Michael Seeley, Kiwi Tom  © 2010 Todos os direitos reservados.