RESENHA DO FILME: O VALOR DE UM HOMEM

20-07-2016 21:22

Qual o valor de um Homem? Qual o valor de um Homem dentro do ambiente corporativo no mundo do trabalho atual? Tudo deve ser aceito ou realizado para alcançar um posto, um cargo melhor, ou mesmo manter o seu emprego? Valores morais, princípios éticos de vida, de humanidade podem ser subjugados em troca de uma promoção e realização profissional, como na famosa frase “os fins justificam os meios”? Essas são umas das questões trazidas à reflexão que o filme francês “O valor de um Homem” - No idioma original “La loi du Marché” (Numa tradução livre “A lei do mercado” ou “As forças do mercado”).

O enredo central do drama é a história de Thierry (Vincent Lindon), um homem de 51 anos que, após perder o emprego pelo fechamento da fábrica na qual trabalhava, enfrenta quase dois anos de desemprego. Deparando-se com dificuldades para retornar ao “mundo do trabalho”, diante de processos seletivos desgastantes, e com empréstimos tomados com o banco, o personagem consegue um novo trabalho, fora da sua área, recebendo um salário menor em relação ao que recebia anteriormente. Nesse momento, a trama chega ao seu ápice. Dentro do ambiente corporativo da empresa, das relações sociais estabelecidas entre direção e funcionários, entre funcionários e funcionários, os valores éticos de Thierry serão colocados à prova. Diante disso, qual será a sua reação?

O filme “O valor de um Homem” aborda, de uma maneira detalhada, a realidade do “mercado de trabalho” atual na Europa, a partir da crise econômica de 2008 (Que ainda estamos enfrentando!), sob o ponto de vista de um Homem comum de meia idade, da classe média francesa. Tal cenário pode ser ampliado para compreendermos o “mundo do trabalho” em outros países, principalmente da periferia do capitalismo (Sul da Ásia, África e América do Sul), mas também países considerados potências econômicas (China, EUA e Japão). Um dos argumentos importantes do filme a ser destacado é, para os trabalhadores que estão empregados, a pressão, o assédio moral sutil e permanente que ocorre no ambiente de trabalho; além das altas taxas de desemprego que o mundo vive, surgidas após a terceira revolução industrial toyotista e aprofundadas com a quarta revolução industrial, a atual “Indústria 4.0”, na qual a tecnologia está substituindo boa parte da mão-de-obra humana necessária para a produção (Saber mais em: <http://professorkassiano.webnode.com.br/news/forum-economico-mundial-e-a-quarta-revolucao-industrial/>).

Submetidos a entrevistas de emprego e dinâmicas de grupo cansativas e muitas vezes humilhantes, desenvolvidas pela “psicologia corporativa”, aqueles que conseguem a vaga desejada são desde o princípio encorajados, motivados pelos psicólogos do Rh (Recursos humanos) a ver os outros candidatos como os seus concorrentes, os seus inimigos, que devem ser exterminados para conquistar o seu espaço dentro da empresa, fazendo de ti o “vitorioso”, o “escolhido”.

 

Referência

Filme: O valor de um Homem

Direção: Stéphane Brize

Gênero: Drama

Duração: 93 minutos

País: França

Ano: 2015

Voltar

Procurar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons Michael Seeley, Kiwi Tom  © 2010 Todos os direitos reservados.